terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Sossegados


Um abraço uno nos liga
Quatro braços entrelaçados como se dois
Duas bocas como uma
Corpos fundidos
Fechamos os olhos e deixamo-nos embalar num son(h)o unico.

1 comentário:

Luís Faustino disse...

Já não existem abraços... Esfumaram-se...